Carregando...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

CARUARU RÁDIO NOVA FM 105.9

HOJE ÀS 11:00 HORAS ESTAREI CONCEDENDO ENTREVISTA PARA O PROGRAMA DE IVO SUTTER, NA RÁDIO NOVA FM 105.9, EM CARUARU. ACOMPANHE PELO SITE DA RÁDIO.

ANIVERSARIANTE DO DIA

NOSSA HOMENAGEM E NOSSOS PARABÉNS PARA O AFILHADO THIAGO BARBOSA QUE ANIVERSARIA NESTA DATA.


ANIVERSARIANTE DO DIA


NOSSOS PARABÉNS PARA A AFILHADA MUITO QUERIDA VANISE CURVÊLO QUE COMPLETA IDADE NOVA NESTA DATA.






FRASE DO DIA

O que é isso? Em que país vivemos? Os bandidos perderam a noção das coisas! Como podem se apropriar desse montante?

Desembargador Walter de Almeida Guilherme, que atua no STF na condição de ministro convocado, sobre a roubalheira na Petrobras

CHARGE DO DIA


Composição ministerial!

Josias de Souza




- Via Aroeira.

EQUIPE DE DILMA TEM MINISTROS QUE NÃO DESPACHAM COM ELA HÁ MAIS DE UM ANO


Josias de Souza


Dilma Rousseff acha que preside 39 ministérios. Durante a campanha, tachou de míopes os adversários que prometiam lipoaspirar a Esplanada. No entanto, há um mês e quatro dias do encerramento do ano, pelo menos dez ministros atravessaram 2014 sem um despacho individual com a chefe. Para cinco deles, o jejum de audiências já se prolonga por mais de um ano.

Alertado para o fenômeno por um dos ministros sem-audiência, o blog resolveu fazer uma pesquisa na agenda eletrônica de Dilma, disponível no site do Planalto. Varejaram-se os compromissos agendados pela presidente no período de 1º de outubro de 2013 até esta quarta-feira, 26 de novembro de 2014. Vão abaixo algumas das constatações:

1. Nesse período de quase treze meses, ministros de setores estratégicos como Garibaldi Alves (Previdência), Maurício Dias (Trabalho) e Jorge Hage (Controladoria-Geral da União) não tiveram seus nomes gravados na agenda de Dilma nenhuma vez. Se foram recebidos, foi em compromisso extra-agenda. Ou em conversas coletivas. Deu-se o mesmo com a titular da periférica pasta de Políticas de Igualdade Racial, a ministra Luiza Helena Barros, e com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, José Elito Carvalho Siqueira.

2. Nomeados nos primeiros meses do ano, cinco substitutos de ministros que trocaram de pasta ou deixaram Brasília para tentar a sorte nas urnas ainda não viveram a experiência de enxergar seus nomes gravados na agenda da presidente depois da cerimônia de posse. De novo: tomando-se como precisos os registros eletrônicos do Planalto, se estiveram com Dilma foi extra-agenda ou em evento coletivo. São eles: Mauro Borges Lemos (Desenvolvimento), Clelio Campolina Diniz (Ciência e Tecnologia), Vinicius Nobre Lages (Turismo), Laudemir André (Desenvolvimento Agrário), e Eduardo Benedito Lopes (Pesca).

3. Outros ministros aparecem na agenda de Dilma, ao longo do período pesquisado, uma quantidade mixuruca de vezes. Por exemplo: Marcelo Neri (Assuntos Estratégicos), Gilberto Magalhães Occhi (Cidades), Francisco José Coelho Teixeira (Integração Nacional) e Neri Geller (Agricultura), uma vez cada. Izabela Teixeira (Meio Ambiente), Paulo Bernardo (Comunicações) e Eleonora Menicucci (Políticas para Mulheres) colecionam duas menções na agenda de Dilma. Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), três. Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e Guilherme Afif Domingos (Micro e Pequena Empresa), quatro cada. César Borges (ex-Transportes, hoje Portos) e Moreira Franco (Aviação Civil), foram à agenda cinco vezes cada.

4. No topo do ranking das audiências formais com Dilma aparecem, desde outubro de 2013: Guido Mantega (Fazenda), 26 vezes; Aloizio Mercadante (ex-Educação, hoje Casa Civil), 19 vezes; Thomas Traumann (Comunicação Social), 17 vezes; Miriam Belchior (Planejamento), 15; José Eduardo Cardoso (Justiça), 14; Aldo Rebelo (Esportes) e Edison Lobão (Minas e Energia), sete vezes cada.

De volta às articulações para a composição de mais um ministério, Dilma vive o dilema entre a racionalidade e a necessidade de saciar o apetite de seus apoiadores. Seria sensato que cada ministro tivesse algo como uma hora semanal de despacho com a chefe. Mas, com 39 auxiliares, sobrariam para Dilma 60 minutos numa jornada de 40 horas por semana. Resta à presidente conviver com a ilusão de que governa seu ministério, ainda que à distância.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES

HOJE TEM REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE TAQUARITINGA DO NORTE,ÀS 16:00 HORAS.

ANIVERSARIANTE DO DIA

NOSSOS PARABÉNS E NOSSAS HOMENAGENS PARA JÔ MARCELINO QUE COMPLETA IDADE NOVA NESTA DATA.




FRASE DO DIA

Os rumores de indicação de Joaquim Levy e Kátia Abreu para o Ministério sinalizam uma regressão da agenda vitoriosa nas urnas. Ambos são conhecidos pela solução conservadora e excludente do problema fiscal e pela defesa sistemática dos latifundiários contra o meio ambiente e os direitos de trabalhadores e comunidades indígenas.

Manifesto encabeçado pelo MST, economistas e apoiadores de Dilma na eleição passada

CHARGE DO DIA


Petroempreitada!
Josias de Souza




- Via Aroeira.

COSTA ENVIA CARTA DE DEFESA AO STF, À PGR E À CPI

PARALISAÇÃO DA PE-160 CAUSA INÚMEROS TRANSTORNOS E OFERECE RISCO DE VIDA AOS MOTORISTAS


Estradas de terra abertas para obras de duplicação da PE-160 se tornam “pistas de rally” e colocam em risco a segurança e a vida de motoristas.


Carros somem em meio a poeira e visibilidade comprometida eleva os riscos de acidentes. Fotos: Thonny Hill.

Com a proximidade das últimas feiras de final de ano no Moda Center, o fluxo de veículos que se dirigem para Santa Cruz do Capibaribe se intensifica a cada semana.


Isso é um ótimo sinal de uma economia que mostra que a crise passa bem distante, mas também evidencia o descaso pelo qual o Governo do Estado tem mostrado em relação a mais importante (e única) via de escoamento dos produtos lá comercializados: a PE-160.


Com suas obras de duplicação paralisadas após o período eleitoral, sob a alegação de cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal com a transição de um governo para outro, a via, que teve suas obras de reestruturação iniciadas em 26 de agosto, agora se tornou uma verdadeira pista de Rally, onde os veículos somem em meio a poeira levantada.


Motoristas imprudentes enxergam nas estradas de terra que foram abertas, onde deveria haver máquinas trabalhando, uma oportunidade de “ganhar tempo” em meio ao trânsito caótico, mas, ao mesmo tempo, colocam em risco suas vidas e também de outros motoristas.


.


Casos de imprudência são registrados em frente as câmeras.



Sem se importar que estão sendo fotografados, motoristas imprudentes seguem adiante nas vias da impunidade.

Com a falta de fiscalização, a PE-160, que possui um grande histórico de acidentes registrados (muitos deles graves) se tornou ainda mais perigosa graças à mistura de “Falta de Fiscalização + Imprudência + Descaso”.

De acordo com políticos que representam o município em âmbito local e estadual que já se pronunciaram sobre a paralisação das obras, elas deverão somente ser reiniciadas a partir de janeiro de 2015, mas até lá o resultado dessa mistura perigosa, todos sabem o que pode resultar.




Enquanto os flagrantes eram registrados, vários motoristas expressavam para nossas lentes seu sentimento de insatisfação frente as condições deploráveis da via.
 
DO BLOG DE NEY LIMA VIA PEMAIS

LÍDER DO DEM IRONIZA: "LEVY É ORTODOXO DEMAIS!"

Josias de Souza



Mendonça Filho: 'Houve intervenção do Lula. E Dilma teve que engolir um ortodoxo na Fazenda'

Ao escolher o economista Joaquim Levy para ser o ministro da Fazenda do seu segundo mandato, Dilma rousseff transformou os congressistas do PT em alvos do deboche da oposição. “Tem petista com febre hoje aqui”, alfinetou o líder do DEM, deputado Mendonça Filho, durante a sessão noturna que a Comissão de Orçamento realizou nesta segunda-feira (24).

“A presidente não teve coragem de levar adiante sua política de irresponsabilidade fiscal”, prosseguiu Mendonça. “Ela já havia demitido o Guido Mantega. Agora, traz para o lugar dele um ortodoxo de carteirinha. Acho que o futuro ministro da Fazenda é ortodoxo demais para o meu gosto. Mas o PT vai ter que engolir. Os petistas estão arrepiados porque o ajuste vai ser severo. Tudo que Dilma pregou durante a campanha está sendo desmoralizado pelos fatos.”

Vice-líder do DEM, o deputado Ronaldo Caiado (GO), eleito senador em outubro, também tripudiou. Lembrou que Dilma “fez muitas críticas ao sistema financeiro” durante a campanha eleitoral.” Empenhou-se em “demonizar o Armínio Fraga”, que comandaria a economia se Aécio Neves tivesse prevalecido. “Agora, estão trazendo o Joaquim Levy, do Bradesco, para montar a política econômica que vai resgatar a presidente, para que ela tenha condições de sobreviver.”

Mendonça Filho insinuou que a própria Dilma terá de engolir Levy: “Houve uma interveção do ex-presidente Lula, numa reunião histórica na Ganja do Torto, para enquadrar a presidente Dilma. Lula a fez ver que, ou ela recuava na sua economia populista ou ia terminar o seu governo de forma trágica. E a presidente teve que engolir um ortodoxo na Fazenda.”

Amigo de Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central na Era Lula, Caiado fez uma inconfidência. “O governo Lula só cumpriu metas de superávit porque trouxe de Boston o banqueiro Meirelles para assumir o Banco Central. Nas palavras de Caiado, Meirelles “passou a ser o grande professor” do petista Antonio Palocci, um médico que Lula acomodou no comando da Fazenda.

Caiado escorou suas declarações em comentários que diz ter ouvido do próprio Henrique Meirelles. “Ele me dizia: ‘deputado, o Palocci é um médico, mas tem uma capacidade ímpar de absorver os ensinamentos. O Mantega é difícil. Não consigo colocar na cabeça dele o que é a boa prática da política econômica.’

Joaquim Levy integrava a equipe de Palocci. Foi secretário do Tesouro Nacional. Produziu superávits portentosos. “A quem ponto chegamos!”, exclamou Caiado. “Ninguem no mercado acredita em Dilma ou no governo. E não é a presidente recém-reeleita que vai recuperar a credibilidade. É oJoaquim Levy.”

“O PT vai ter que aplaudir o Levy”, declarou Caiado. E Mendonça: “Veja a ironia do destino. Dona Dilma vai ter que ser mais ortoxoda do que o rei, porque sua política econômica está desmoralizada. Ninguém acredita em mais nada, porque tudo o que é compromisso é descumprido. Se a eleição fosse hoje, o resultado seria diferente. Infelizmente, o quadro é de estelionato eleitoral. Um estelionado gritante.”

Embora estivesse apinhada de petistas e aliados, não se ouviu um pio que pudesse ser entendido como contestação às provocações dos ‘demos’ Caiado e Mendonça.

JUCÁ: "NÃO MUDOU A META, AMPLIAMOS A BANDA"


Josias de Souza



Relator do projeto que abre brecha para que o governo feche suas contas no vermelho em 2014, Romero Jucá (PMDB-RR) foi criticado pela oposição por seu excesso de servilismo. No parecer que prevaleceu na Comissão de Orçamento, o senador substituiu a expressão “meta de superávit'' por “meta de resultado''. Com isso, deixou o governo à vontade para apresentar um déficit (ou “superávit negativo'', ironizam os adversários). Jucá absteve-se, de resto, de fixar uma cifra. Apenas autorizar Dilma a abater da meta cenográfica 100% de tudo o que for gasto com o PAC e com as desonerações tributárias.

Auditor, o deputado tucano Izalci (DF) lembrou a Romero Jucá que a Lei de Responsabilidde Fiscal obriga o Congresso a fiscalizar o cumprimento da meta de superávit primário. “Se não há uma meta numérica, o que iremos fiscalizar?”, perguntou Izalci. E Jucá, flertando com o déficit de lógica: “O que estamos fazendo aqui não é alterar a meta do superávit. Nós estamos discutindo aqui a ampliação da banda de abatimento da margem desse superávit. Isso é algo completamente diferente da alteração de uma meta”.

Impressionado, o médico Ronaldo Caiado (DEM-G) comparou Jucá a um vírus. “Ninguém desconhece a capacidade de mutação do relator Romero Jucá. É aquilo que nós, na medicina, temos uma dificuldade enorme de combater: o vírus com mutação muito rápida. Vossa Excelência, senador Jucá, tem uma capacidade de mutação ímpar.” Na campanha presidencial, Jucá apoiou o tucano Aécio Neves.

JOÃO LYRA ANUNCIA NESTA TERÇA-FEIRA PAGAMENTO DO 13º SALÁRIO DE SERVIDORES

 por Marcela Balbino em Notícias



Foto: NE10

Cinco dias depois de a Prefeitura do Recife anunciar o calendário de pagamento dos servidores neste fim de ano, o governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), antecipou que irá divulgar nesta terça-feira (25) o cronograma do pagamento do 13º salário para dos funcionários do Estado.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) estima que deverá ingressar cerca de R$ 4,8 bilhões na economia pernambucana ao longo de 2014, a título de 13º salário, representando 3,8% do PIB estadual.

O valor estimado será pago ao conjunto dos trabalhadores do mercado formal (público e privado), trabalhadores domésticos e beneficiários da previdência social (INSS e Regimes Próprios), somando um total de 3.268.738 indivíduos.

No Recife, o pagamento dos salários neste fim de ano injetará R$ 418 milhões na economia da capital.

PSDB DISSOLVE COMISSÕES PROVISÓRIAS QUE VOTARAM EM DILMA ROUSSEFF

 por Inaldo Sampaio


A executiva do PSDB de Pernambuco, em reunião realizada nesta segunda-feira (24), decidiu por unanimidade dissolver todos os diretórios e comissões provisórias municipais que votaram na presidente Dilma Rousseff (PT) nas últimas eleições.

O partido ainda não fez o levantamento de quantas comissões provisórias serão alcançadas pela medida. O mapeamento será feito nos próximos dias pelo secretário-geral do partido, deputado federal eleito Betinho Gomes.

Paralelamente ao levantamento, o PSDB-PE fará uma pesquisa sobre jovens lideranças – sintonizadas com as diretrizes do partido – que possam assumir o comando da legenda naqueles municípios.

É ponto pacífico na executiva do partido que o PSDB de Pernambuco precisa renovar sua base e que o desempenho eleitoral do presidente nacional da legenda, senador Aécio Neves, na disputa presidencial deste ano, pode atrair novas lideranças.

Diante dessas manifestações, o PSDB-PE lançará uma campanha estadual de filiações para 2015.

O movimento ocorrerá em paralelo ao movimento nacional que será lançado com o mesmo objetivo. Uma subcomissão da executiva fará o planejamento de uma campanha de comunicação para divulgar a iniciativa.

Sobre o desempenho do partido nas eleições, o PSDB está convencido de que saiu bastante fortalecido das urnas e que está legitimado pelo povo para fazer oposição ao PT.

Para a executiva do PSDB-PE, a aliança com o PSB se fortaleceu nesta eleição, principalmente em razão da postura do partido no Estado de apoio à eleição do senador Aécio Neves no segundo turno da eleição presidencial.

A parceria, porém, não é tida como “passaporte” para ingresso do PSDB no governo do governador eleito Paulo Câmara (PSB).

Interlocutor da legenda com o socialista, o presidente do PSDB-PE, Bruno Araújo – que comandou a reunião desta segunda-feira – reafirmou que “não há qualquer ansiedade do partido em relação à cargos no governo do Estado”.

GOVERNO DO ESTADO RENOVA VIATURAS DO "PATRULHA NOS BAIRROS"

 por Inaldo Sampaio


O programa “Patrulha nos Bairros” do Governo do Estado recebeu nesta segunda-feira (24) 130 novas viaturas para substituir viaturas velhas.

Os carros, todos zero quilômetro, foram entregues ao secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, pelo governador João Lyra Neto.

“Esse processo de renovação permanente dos veículos faz com que tenhamos mais eficiência e um melhor serviço para a população. Foi dessa forma que conseguimos êxito na redução da criminalidade”, afirmou o governador.

Ele disse também que “essa política não pode ser apenas de governo, tem que ser de Estado. Precisa da União e dos municípios para que possamos fazer uma verdadeira segurança pública integrada”, acrescentou.

Ao todo, 12 cidades serão beneficiadas com as novas viaturas que realizam a cobertura policial nos bairros.

Na Região Metropolitana, foram contemplados os municípios de Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Recife, Paulista, Cabo de Santo Agostinho e São Lourenço da Mata.

No Agreste, os novos veículos seguirão para Belo Jardim, Garanhuns e Santa Cruz do Capibaribe. E, no Sertão, para as cidades de Petrolina, Araripina e Ouricuri. As chaves dos carros foram entregues simbolicamente pelo governador ao secretário Alessandro Carvalho e aos soldados Valter Daniel Ribeiro Torres e Tatiana Caroline da Silva Moreira.

“Antes dessa gestão, a quase totalidade dos veículos era patrimoniada (próprios). Então, havia carros com até oito anos de uso. Com a locação, os veículos são trocados a cada dois anos, quando já estão com algo em torno de 130 mil quilômetros rodados”, afirmou o secretário.

Os novos carros do “Patrulha nos Bairros” – 34 do modelo Spin e 96 Duster – são equipados com rádios digitais, fazendo a ponte entre o Batalhão de origem e o Centro Integrado de Operações da Defesa Social (CIODS).

Já os policiais – dois por viatura – portam celulares anti-choque com aceso à internet e linha exclusiva para receber as chamadas dos moradores. Cada veículo também recebeu um adesivo com o nome do bairro onde servirá e possui um sistema de monitoramento via GPS.

O contrato de locação das unidades prevê que, a cada dois anos, a partir do primeiro abastecimento, as empresas façam a troca dos veículos.

O custo unitário/mês das viaturas do modelo Spin é de R$ 2.377,25, totalizando um custo mensal de R$ 80.826,50.

Já os veículos do modelo Duster têm custo unitário mensal de R$ 4.676,24, totalizando R$ 448.919,04 ao mês.

O “Patrulha nos Bairros” foi lançado pela primeira vez em 1985 no governo de Roberto Magalhães. O programa foi relançado pelo governador Eduardo Campos em 30 de agosto de 2012 com a entrega de 125 novas viaturas para atender Recife, Jaboatão dos Guararapes e Olinda.

GOVERNO ESTÁ "ESCRAVO" DO PMDB, AFIRMA CID GOMES

 por Inaldo Sampaio


Em entrevista à revista Carta Capital desta semana, o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), disse que o governo da presidente Dilma Rousseff está “escravo” do PMDB, sendo necessária a criação de uma “frente de esquerda” para dar-lhe sustentação no Congresso Nacional.

“O governo está escravo do PMDB, que se considera um partido essencial, quando eu penso que ele não tem essa bola toda. É melhor ter uma base mais enxuta, porém mais confiável”, disse o governador cearense, para quem o Brasil enfrenta, no momento, “um evidente problema de governabilidade”.

Para o irmão de Ciro Gomes, que também não morre de amores pelo PMDB, o deputado federal e candidato à presidência da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), “é uma caricatura dessa situação. Mas uma boa parte do PT, ao longo dos últimos anos, também aderiu à tese do poder pelo poder”.

Para ele, a relação que Dilma tem com o Congresso é diferente daquela que Lula tinha porque o ex-presidente “não tinha remorso” e a atual presidente tem.

Textual: “Quando ela assumiu a Presidência, deu participação no governo para a base toda. Ao perceber posturas não republicanas no dia a dia, não aceitou. É o caso da Petrobras. Dilma está sofrendo por uma coisa que não tem responsabilidade. Ela apanha dos dois lados, de quem defende uma posição mais ética e de quem era beneficiário do esquema”, disse o governador.

A seu ver, operações como a “Lava Jato” podem ajudar a renovação de quadros políticos no País.

DELAÇÃO PREMIADA PRECISA DE PROVAS


 

 por Inaldo Sampaio

Coluna Fogo Cruzado – 25 de novembro

Humberto Costa não tinha cacife político em 2010, quando disputou o Senado por Pernambuco, para ameaçar de demissão um diretor da Petrobras

O senador Humberto Costa aparentemente não se intimidou com a manchete do “Estadão” do último domingo segundo a qual teria recebido R$ 1 milhão do esquema de propina da Petrobras por meio do então diretor de abastecimento Paulo Roberto Costa. Como a matéria não cita provas, fazendo alusão apenas ao suposto depoimento que o ex-diretor teria dado à Polícia Federal, sob “delação premiada”, ainda não é possível avaliar o seu grau de veracidade. No entanto, há alguns trechos da matéria que são totalmente desprovidos de lógica. Por exemplo: Paulo Roberto teria dito que sofreu pressão do petista pernambucano para liberar o dinheiro sob pena de demissão. Ora, Humberto Costa em 2010, quando o dinheiro teria sido liberado, não tinha a menor influência no governo. Era apenas candidato a senador por Pernambuco e isso não lhe dava a menor condição política de ameaçar tirar do cargo um poderoso diretor da Petrobras.

Ainda faltam as provas

Direta ou indiretamente, já teriam sido citados por Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Yousseff como supostos beneficiários de recursos desviados da Petrobras quatro políticos de Pernambuco: o ex-governador Eduardo Campos (PSB), o ex-deputado Sérgio Guerra (PSDB), o senador Humberto Costa (PT) e o senador eleito Fernando Bezerra (PSB). Mas prova que é bom até agora, nada. A menos que estejam em poder do MP, Polícia Federal e do juiz Sérgio Moro.

Ministros – Foi dito ontem nesta coluna que desde o governo José Sarney (1985-1989) Pernambuco sempre teve representantes no 1º escalão do governo federal: Marco Maciel, Fernando Lyra, Ricardo Fiúza, Gustavo Krause, Raul Jungmann, Humberto Costa, Eduardo Campos e Fernando Bezerra. Mas faltou citar Joaquim Francisco, José Jorge e José Múcio.

Expurgo – O PSDB-PE vai expurgar do partido os filiados que nas últimas eleições não apoiaram Aécio Neves para presidente da República, mas ainda não tem a lista dos infiéis.

Dilúvio – A ser verdade o que circulou em Brasília há uma semana, vêm aí novos escândalos envolvendo os fundos de pensão das estatais, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Eletrobrás.

Amigo – Por proposição do presidente Biu Farias, a União dos Vereadores de Pernambuco vai prestar uma homenagem a Eduardo Campos em seu próximo congresso na cidade de Surubim.

Acerto – O deputado José Chaves (foto) diz que Dilma Rousseff deu o “tiro certo” ao convidar o senador Armando Monteiro (PTB) para comandar a política industrial do seu futuro governo porque ele sabe de cor e salteado a pauta da indústria, tem espírito público e é pernambucano.

Distância – O governador eleito Paulo Câmara não quer se envolver na eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa, marcada para 1º de fevereiro. Mas já foi avisado pela bancada do PSB de que se deixar o barco correr frouxo a reeleição de Guilherme Uchoa (PDT) é inevitável.

Jardim 1 – O prefeito João Mendonça (PDS) classifica como “perseguição” do governador João Lyra Neto à sua pessoa o fato de a Fundarpe não ter dado resposta até agora ao pedido de ajuda solicitada pela prefeitura para realização em Belo Jardim, agora em dezembro, do tradicional “Jardim Cultural”. O governo alega que está fechando as contas de 2014 e que não há recursos para bancar o evento.

Jardim 2 – João Mendonça (PSD) afirma também que seu município deixou de receber ajuda do governo estadual desde que seu primo, opositor e deputado federal reeleito, Mendonça Filho (DEM), fez aliança no plano local com a deputada Raquel Lyra (PSB), filha do governador. Que nega perseguição a quem quer que seja, muito menos da Frente Popular, porque não é seu jeito de fazer política.

IGREJA SUBMERSA VOLTA A APARECER POR CAUSA DA ESTIAGEM, EM PETROLÂNDIA


Petrolândia, em PE, teve cidade inundada para construção de hidrelétrica.
Seca tem afetado fruticultura irrigada e piscicultura do município do Sertão.
Paula Cavalcante Do G1 Caruaru, em Petrolândia

 
Vestígios do antigo nível das águas na Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Petrolândia antes da estiagem podem ser percebidos (Foto: Paula Cavalcante/ G1)

Há 26 anos a velha cidade de Petrolândia, no Sertão de Pernambuco, foi inundada para a construção da Usina Hidrelétrica Luiz Gonzaga. Após a inundação, apenas o topo da Igreja do Sagrado Coração de Jesus ficou visível. Hoje, por conta da estiagem, o volume do Lago de Itaparica reduziu e praticamente metade da estrutura do templo pode ser visualizada. As algarobas ao redor da construção também podem ser vistas, bem como uma caixa d'água de uma escola da velha cidade. A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) informa que o volume útil da barragem atualmente é de aproximadamente 16%. No último período chuvoso, o armazenamento máximo do reservatório de Itaparica foi de 44,3%.


Caixa d'água de escola estava submersa e
voltou a aparecer (Foto: Paula Cavalcante/ G1)

A situação prejudica as principais atividades econômicas do lugar. A agricultura, baseada na fruticultura irrigada, registrou uma baixa na produção. Dos aproximadamente 2.000 agricultores, praticamente todos tem a terra mas não estão plantando mais nada. "As estações de bombeamento dos perímetros irrigados já não conseguem captar a água suficiente para atender a demanda dos plantios que existem. Isso já paralisou a produção do município e apenas fruteiras que já estavam produzindo continuam a produção", explica ao G1 o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Pesca, Rogério Viana. Para a agricultora Joana Nogueira fica a tristeza de não poder continuar o cultivo. "Tenho minha propriedade e sou impedida de plantar no meu próprio lote porque não é garantido a água", conta.

VEJA GALERIA DE FOTOS REGISTRADAS NO LAGO DE ITAPARICA

Na piscicultura, os pescadores tiveram que se adaptar ao novo nível da água. Segundo o secretário, 90% do que se produz de peixe é em tanques, redes ou gaiolas que são colocadas dentro do lago. Esses equipamentos são colocados em lugares pré-determinados pela Agência Nacional de Águas (ANA). Porém, por causa da estiagem, eles precisam ser levados para locais de maiores profundidades, que tenham mais oxigênio. Com isso, os custos da produção são elevados e muitos peixes não se adaptam e morrem. "Antes quando ela [barragem] tava cheia, nós pegava até uma tonelada de peixe aqui. Por semana. E hoje em dia para você pegar 150 quilos dá trabalho para você pescar. Nós pegamos 150 quilos agora, no período de uma semana", lamenta o pescador Reginaldo Campos dos Santos. Tô pedindo a Deus que é para que o lago encha de novo que é para nós pegar mais peixer de novo, né?", desabafa.


Petrolândia

Município é localizado a 436 km de distância da capital.


A prefeitura realiza algumas ações para minimizar os efeitos da seca. "Temos disponibilizado equipamentos para abertura e limpeza de canais de aproximação, para que os agriculutores irrigantes consigam captar a água. Estamos articulando um grande encontro de instituições para discutir a situação atual. Ver quais são as perspectivas de chuvas. E quanto pretende-se baixar o nível do lago para que em cima disso possa ser feito um planejamento. A gente trabalha também com a hipótese das chuvas serem insuficientes e chegar ao caos, numa situação que a agricultura irrigada tenha que parar", observa o o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Pesca. Já em relação à pesca, uma reunião está marcada com representantes do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) para definir ações.


 
Agricultora Lucicleide Maria do Nascimento
(Foto: Paula Cavalcante/ G1)

As comunidades rurais também sofrem com a estiagem. A agricultora Lucicleide Maria do Nascimento trabalha em uma produção agrícola mas não cultiva nada em casa. Ainda assim, a família dela tenta controlar a quantidade de água utilizada para consumo humano, pois a localidade costuma ficar até três dias seguidos sem o líquido até para beber. "Tem que economizar bastante para não faltar. Quando a água chega nós colocamos em uma caixa d'água para ir usando", diz.

 
Velha Petrolândia foi inundada em 1988 para construção de hidrelétrica (Foto: Paula Cavalcante/ G1)

 
Interior da igreja com a estiagem (Foto: Paula Cavalcante/
G1)